Advogado renuncia a defesa de réu e julgamento é suspenso em Mal.Rondon

Geral | | Por: Regis

 Uma situação inusitada resultou no cancelamento da sessão  do Tribunal Popular do Júri, hoje, no fórum de Marechal Cândido Rondon.         

Apontados como autores da morte de Juselino da Maia, o Bugrão, estavam sendo julgados  Ricardo Carvalho Lopes, o Sabiá, de 25 anos; Adenilson Brizola dos Santos, de 31 anos e  Maurílio Cateburcio, de 22 anos.
        

O crime ocorreu em 2 de julho de 2010, quando  Bugrão foi atraído até a casa de André Luiz Koch, o Chacrinha no Bairro Santa Felicidade, onde foi executado com uma  facada no pescoço.
        

O corpo foi desovado numa propriedade rural na Linha Piriquito e todos os envolvidos no crime foram identificados e presos.
        

Chacrinha conseguiu fugir da cadeia local, porem foi morto em Cascavel em 31 de novembro de 2011.
        

No julgamento de hoje  o advogado de um dos réus, Helio Hachmann, 
insistiu no depoimento de uma testemunha, menor de idade, que não havia sido intimado. Como a Polícia Militar realizou diligências na tentativa de localizar a testemunha, que mais uma vez não foi encontrada, o Juíz  Clairton Mario Spinassi, indeferiu o pedido para que o depoimento fosse prestado em juízo.

O advogado não aceitou a decisão, renunciou a defesa e abandonou a sala de sessões.

Não restou ao juiz presidente outra alternativa senão  dissolver o Conselho de Sentença e suspender  o julgamento.


Com isso os três réus retornaram para a cadeia  local e aguardam a definição de uma nova data para que o julgamento seja realizado
« voltar

COMENTÁRIOS

NOTÍCIAS RECENTES