Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
26/03/2015 17:21 | Autor: Editor
Fonte: G1

Saiba quem era o copiloto do avião que caiu na França

Andreas Lubitz era alemão, tinha 28 anos e foi contratado em 2013.
Segundo promotor, ele parece ter derrubado o avião de propósito.


O copiloto do avião da Germanwings que caiu na terça-feira (24) nos Alpes franceses era alemão e tinha 28 anos. Segundo a Promotoria da França, Andreas Lubitz parece ter derrubado a aeronave deliberadamente. As informações são preliminares, e as investigações ainda não foram encerradas.
Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (26), Brice Robin, promotor de Marselha, disse que o copiloto não estava em nenhuma lista de suspeitos de terrorismo.
Página de Andreas Lubitz, o copiloto do voo 4U9525 da Germanwings, em rede social (Foto: Reuters)
Página de Andreas Lubitz em rede social
(Foto: Reuters)

Lubitz se tornou copiloto da Lufthansa, dona da Germanwings, em setembro de 2013 e tinha 630 horas de voo de experiência, informou a companhia à AFP.
Carsten Spohr, CEO da Lufthansa, disse em entrevista coletiva que Lubitz começou seu treinamento em 2008 e foi comissário de bordo enquanto não podia pilotar.
Disse ainda que ele interrompeu o treinamento por alguns meses, mas que isso não é incomum, e que ao se tornar copiloto estava "100% apto para voar, sem restrições". Segundo Spohr, ele passou em todos os exames médicos e de pilotagem.
O copiloto era natural de Montabaur, na região de Rhineland-Palatinate, na Alemanha. Ele vivia com os pais na cidade e também tinha uma moradia em Düsseldorf, afirmou a prefeita de Montabaur ao jornal "El País".
A publicação espanhola afirma ainda que o perfil de Lubitz no Facebook foi apagado (veja acima uma captura de tela da página).
Na casa que acredita-se ser dos pais de Lubitz, as cortinas estavam fechadas nesta quinta-feira e quatro carros de polícia isolaram o local, informou a AP. A casa de dois andares fica em um bairro próspero de Montabaur, cidade localizada a cerca de 60 km de Frankfurt. Os vizinhos se recusaram a comentar o caso.
Perfil psicológico
O promotor Brice Robin afirmou nesta quinta que não tem nenhuma informação sobre o perfil psicológico ou a filiação religiosa do copiloto.
Segundo um repórter da revista alemã "Spiegel", fontes próximas ao copiloto disseram que ele teria tido uma depressão ligada ao esgotamento profissional em 2009, conhecida como síndrome de burnout.
Segundo o jornal inglês "The Guardian", Lubitz era descrito por vizinhos como uma pessoa amigável e que perseguia seus sonhos "com vigor".
Na cidade de Montabaur, um conhecido do copiloto disse à AP que ele não mostrava sinais de depressão quando o viu no último outono, enquanto ele renovava sua licença para pilotar planadores em um clube local.
“Ele estava feliz por ter o emprego na Germanwings e estava indo bem”, disse um membro do clube, Peter Ruecker. Ele descreveu Lubitz como um homem “um pouco reservado”, mas "muito amigável", e disse que não viu nenhuma indicação de que algo estivesse errado com ele.
Ruecker disse que o copiloto tinha uma namorada, mas afirmou não ter detalhes sobre sua vida pessoal.
Policiais protegem a casa de Andreas Lubitz em Monatbaur, na Alemanha (Foto: Michael Probst/AP)
Policiais protegem a casa de Andreas Lubitz em Monatbaur, na Alemanha (Foto: Michael Probst/AP)

O acidente

O promotor de Marselha, Brice Robin, disse em entrevista coletiva nesta quinta-feira (26) que os registros de áudio do avião mostram que o piloto deixou a cabine e que o copiloto se recusou a reabrir a porta. Disse ainda que Lubitz estava respirando normalmente até o momento em que a aeronave bateu nas montanhas.
Ele também afirmou que o copiloto acionou o mecanismo de descida do avião de maneira voluntária quando estava sozinho na cabine. Não houve alerta de emergência vindo do avião, segundo Robin.
Clubes de voo
O clube de voo LSC Westerwald, na Alemanha, do qual Lubitz era membro, postou em seu site uma nota sobre o copiloto.
Placa na casa de Andreas Lubitz, copiloto do avião da Germanwings, na cidade de Montabaur, na Alemanha (Foto: Michael Probst/AP)
Placa na casa de Andreas Lubitz
(Foto: Michael Probst/AP)

“Quando jovem, Andreas se tornou membro do clube, ele queria realizar seu sonho de voar. Ele começou como aprendiz em planadores e conseguiu se tornar piloto do Airbus A320. Ele foi bem-sucedido em alcançar seu sonho, um sonho com o qual ele pagou com a vida", afirma o texto.
Lubitz também foi certificado pela Associação de Aviação Federal dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) para uma categoria não comercial de pilotos. A inclusão do piloto alemão na base de dados de pilotos certificados foi notícia em um portal jornalístico da área de aviação comercial em setembro de 2013.
Segundo o banco de dados da FAA, Andreas Gunter Lubitz recebeu uma licença da associação como piloto em treinamento ("student pilot") em 2010 e uma certificação de “piloto particular” em 6 de janeiro de 2012.
O site também especifica que o certificado de Lubitz nos Estados Unidos é válido apenas para aeronaves com um só motor ou planadoras e quando está acompanhado de sua licença para voar emitida pela Alemanha.
Associação americana de aviação emitiu certificado para Andreas Lubitz em janeiro de 2012 (Foto: Reprodução/FAA)