Rádio Difusora

(45) 9-9841-0044
12/09/2018 14:55 | Autor: Editor

Desembargador nega habeas corpus e ex-governador Beto Richa continua preso

O desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná, Laertes Ferreira Gomes, negou ontem um pedido de habeas corpus para o ex-governador Beto Richa, do PSDB, preso em uma operação do Gaeco.


Ele foi transferido para o Regimento da Polícia Montada
Por outro lado, o desembargador determinou a transferência de Richa para o regimento da Polícia Montada, no Bairro Tarumã.
Antes, ele e a mulher, Fernanda, estavam no Complexo Médico Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.
O pedido de habeas foi entregue nesta terça-feira e tinha a assinatura de oito advogados, os quais alegaram constrangimento ilegal ocorrido pela prisão preventiva.
No despacho, o relator decidiu “por ora, de apreciar o pleito liminar” e determinou que sejam prestadas informações sobre a situação processual de Richa num prazo de 48 horas.
Por fim, o desembargador determinou “ao diretor do Complexo Médico Penal a imediata transferência do paciente Carlos Alberto Richa para o Regimento da Polícia Montada, servindo a presente decisão como ofício”.
Richa e Fernanda foram transferidos à noite.
O tucano governou o Paraná entre 2011 e 2018 e saiu em abril deste ano para concorrer ao Senado nas eleições 2018.
Nesta terça-feira, ele foi preso em uma operação do Gaeco, do Ministério Público Estadual, que investiga desvio de recursos e lavagem de dinheiro no programa “Patrulha do Campo”, de manutenção de estradas rurais.
Também foi presa a mulher dele, a ex-secretária de Estado Fernanda Richa.
No mesmo dia, o ex-chefe de gabinete de Richa, Deonilson Roldo, foi preso pela Polícia Federal na 53º fase da operação Lava Jato, denominada “Operação Piloto”, que investiga o pagamento de propina pela Odebrecht ao grupo do ex-governador em troca de favorecimento em uma licitação para obras na rodovia PR-323.