Rádio Difusora

(45) 9-9997-0532
16/05/2019 14:34 | Autor: Editor

Vereador e filho presos pelo GAECO estão recolhidos na PEC de Cascavel

Foto:Assessoria
O Vereador Nilson Hackman, seu filho e mais duas pessoas seguem presas na Penitenciária Estadual de Cascavel.
Nilson e os outros foram presos ontem em MaL Rondon, durante cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão, da Operação Pula Pula, realizada pelo GAECO, que investiga o envolvimento do vereador com empresas laranjas, e a participação em processos licitatórios realizados pela prefeitura municipal.
A ex-companheira do vereador, que estava lotada na Secretaria de Educação do atual governo, foi afastada das funções, acusada de oferecer favorecimento no passado, referente às informações dos certames licitatórios.
Em relação à operação do GAECO, desencadeada ontem em Marechal Cândido Rondon, a administração municipal emitiu nota que diz o seguinte:

- O GAECO solicitou acesso a documentações do setor de licitações, sobre compras diretas e processos licitatórios realizados pelo município desde o ano de 2009: toda a documentação solicitada foi fornecida aos agentes.

- As investigações recaem sobre supostas irregularidades na constituição de empresas, e não sobre os processos licitatórios em si.

- Na atual gestão, as compras realizadas junto às empresas investigadas foram feitas obedecendo os preceitos legais (pregão presencial e tomada de preço), respeitando cláusulas uniformes.

Assina a nota: Departamento de Comunicação da Prefeitura de Marechal Cândido Rondon.

A defesa do vereador Nilson Hackmann e dos demais detidos

Segundo a denúncia do Ministério Publico, Nilson Hachmann era dono de empresas, registradas em nome de terceiros, que participavam de licitações do município, burlando a proibição de contratação com o setor público.
As empresas atuam em áreas diversas, como obras públicas de pavimentação rural, prestação de serviços e transporte escolar.
Conforme o GAECO, as demais pessoas ligadas a ele aparecem como laranjas em empresas das quais ele é dono, conforme o Gaeco.
O vereador Nilson Hachmann está no quinto mandato na Câmara Municipal de Marechal Cândido Rondon: ele foi secretário municipal entre os anos de 2009 e 2012.
Os mandados foram cumpridos em oito residências, nove empresas, um escritório contábil, no setor de licitações da Prefeitura e no gabinete do vereador na Câmara Municipal.
No momento da operação, os funcionários da prefeitura e da câmara não puderam entrar pra trabalhar.
A defesa do vereador disse que a prisão do cliente foi precipitada, pois não há elementos que levem à necessidade da prisão neste momento, uma vez os fatos investigados são antigos.
O advogado do vereador, Márcio Berti, também responde pela defesa do filho dele: disse ainda que está retornando de uma viagem de Porto Alegre para ter mais informações sobre o processo que resultou na prisão de ambos.